quinta-feira, junho 1

Mercearia com 70 anos ameaçada?


Tecnicos das Actividades Económicas obrigam a remodelação de Mercearia com 70 anos, e à remoção destas estruturas em madeira originais por novas, em aluminios e vidro?

Este estabelecimento é local de encontro de moradores e ponto de paragem para muitos turistas que ao passar descobrem surpreendidos a beleza do interior.

Não será possível uma remodelação que preserve e valorize este espaço único?

4 comentários:

Anónimo disse...

são as porcarias das modernisses...inacreditável!

Anónimo disse...

desde que haja vontade, a remodelação que preserve a imagem do espaço será sempre possivel.

Um arquitecto licenciado, não inscrito na Ordem

cláudia disse...

Eu gosto especialmente dessa mercearia "meio café", porque me faz lembrar os tempos em que estudava em Lisboa e nos meus dias de nóia (ou de namoro!)percorria Lisboa a pé e comprava comida e bebida que ia consumindo enquanto caminhava... E isto, antes de abrir o Continente da Amadora, há 20 anos atrás!
E gosto também porque quando saiu do metro, hoje, que na minha perspectiva felizmente já não vivo em Lisboa e arredores, quando saiu do metro dizia eu e me dirijo para a terapia gosto de entrar e comprar algo que se coma ou uma simples bebida, ou somente olhá-la...
E por muito que se perserve nas remodelações... qualquer coisa pequena que mude, já não será o mesmo espaço! (e não é por descrédito no trabalho de recuperação dos arquitectos, é mesmo porque os sitios não voltam a ser os mesmos...)
Passei por acaso e acabei a escrever um "testamento"...

:)

Mancholas disse...

Vima a descobrir este blog pela petição de não abater os platanos. Vive uma parte da minha vida na Rua Fialho de Almeida e é engraçado ver estas fotos de uma mercearia do antigamente. É pena deixarem de existir....